top of page

Contador foi enforcado com cinto antes de ter o corpo queimado no quintal de casa em Niquelândia


Contador foi enforcado antes de ter corpo queimado, em Niquelândia — Foto: Reprodução/Instagram

Polícia Civil trabalha com duas linhas de investigação: a de crime passional e a de latrocínio. Serão implementadas ações para reconstituição do caso e dos últimos passos de Nilton de Paula.

Após exames periciais no corpo do contador encontrado morto, em Niquelândia, no norte de Goiás, foi constatado que o homem de 41 anos foi enforcado antes de ter o corpo queimado. Segundo a Polícia Civil, ao ser achado no quintal de casa, Nilton de Paula Ferreira estava com um cinto no pescoço.

O caso aconteceu no sábado (21). O delegado Sandro Leal Costa contou que, após exames, a causa da morte foi delimitada como asfixia por constrição no pescoço da vítima.

No entanto, policiais ainda aguardam laudo pericial para verificar se foi possível coletar algum detalhe que indique a autoria do crime.


Sandro explica que, nos próximos dias, serão implementadas ações para reconstituição do caso e a dinâmica dos últimos passos de Nilton: por onde ele passou e quem estava com ele.

“Vai ser um trabalho bem investigativo. Todas as pessoas que estiveram com ele vão ter que dar todos os detalhes para ver se é possível chegar em algum autor ou autora”, pontua o delegado.

Segundo o delegado, a análise do celular da vítima será um passo importante e fundamental ao avanço das investigações, mas o aparelho ainda não foi desbloqueado.

“O celular vai ser enviado para a perícia. Acredito que a partir dele vamos ter prova de quem estava com ele no momento do crime”, diz Sandro.


A Polícia Civil ainda detalha que, até o momento, são trabalhadas duas possíveis linhas de investigações:


  • A de que foi passional, uma vez que “há indicativos de que ele teria ido para casa acompanhado para fins lascivos”.

  • A de latrocínio, na possibilidade de que o homicídio teria ocorrido com o objetivo de alcançar uma grande quantidade de dinheiro que, segundo testemunhas, estaria guardado na casa da vítima.


De acordo com o delegado, testemunhas afirmaram que o homem tinha cerca de R$ 40 mil em casa. No entanto, o dinheiro não foi encontrado pelos policiais e o fato ainda vai ser apurado pelos policiais.

Outra informação recebida pela polícia que ainda deve ser investigada é que uma das pessoas consideradas suspeitas pela polícia teria comprado um galão de gasolina na noite do crime. As imagens das câmeras de segurança do posto de combustível em questão também devem ser analisadas.

Crime

Ao g1, a Polícia Civil explicou que, inicialmente, foi recebida a denúncia de um veículo totalmente queimado na saída de Niquelândia. Enquanto a corporação investigava a situação, familiares do contador foram até a delegacia registrar o sumiço dele.

Logo depois, se descobriu que o veículo em questão, um Fox branco, era da vítima. O carro estava em uma área de mata no início da GO-237.

Na sequência, o corpo da vítima foi encontrado pelos familiares, no quintal da casa em que o contador morava, localizada no Bairro Soares.

Nilton já havia sofrido uma tentativa de latrocínio em 2015. Segundo registros policiais, na época, o contador tinha 34 anos e foi agredido por três jovens, na entrada de sua casa, com pedaços de madeira. Ele foi abandonado em seu carro seminu, às margens da BR-414.


Após o crime, o Conselho Regional de Contabilidade de Goiás (CRC-GO) publicou em suas redes sociais uma nota de falecimento, onde lamentou a morte do profissional, conhecido como Niltin. “Nilton foi um exímio profissional e entusiasta da contabilidade”, disse o órgão.

SIGA NOSSO INSTAGRAN

Fonte: g1 Goiás.

Comments


FORTE NEWS REAL.png

Mais Notícias

bottom of page