top of page

Filho espanca a mãe de 70 anos até a morte por causa de R$ 200 em Goiás

Filho morava sozinho com a mãe e tentou convencer a polícia de que a mulher teria morrido ao cair e bater a cabeça


Preso por ser suspeito de matar a mãe espancada, Daniel de Melo Correa, 31 anos, teve a prisão temporária convertida em preventiva após a conclusão do inquérito pela Polícia Civil de Goiás (PCGO). De acordo com a corporação, o homem agrediu a idosa, de 70 anos, até a morte, após uma discussão por R$ 200.

Daniel estava preso temporariamente desde o início do mês. Na terça-feira (28/3), o Poder Judiciário recebeu a denúncia contra ele por feminicídio e converteu a prisão de temporária em preventiva.


Histórico de violência

Segundo a PCGO, o crime ocorreu em fevereiro, no Setor Leste Universitário, na região central da capital goiana. Conforme a corporação, a mãe de Daniel era vítima de um vasto histórico de violência física e psicológica praticada pelo filho. Com antecedentes criminais por tráfico de drogas, Daniel era dependente químico e sempre viveu com ela.


Na data do crime, Daniel alertou a vizinhança e a família sobre a morte, alegando que a vítima provavelmente havia caído e batido a cabeça. Porém, foram constatadas diversas lesões por todo o corpo da mulher, razão pela qual foi feita uma autópsia. Após o resultado, ficou constatada a morte por espancamento, especialmente, pelas diversas lesões na cabeça.


Ainda de acordo com a polícia, Daniel negou a acusação e suscitou diversos álibis, todos afastados pela investigação. Ao final, ficou comprovado que, no momento do crime, Daniel estava sozinho na residência com a vítima e sob efeito de álcool.

Constatou-se também que, na véspera do assassinato, o agressor estava pressionando a mãe por dinheiro – segundo consta, ele queria R$ 200. Desesperada, a mulher tentou pegar o valor emprestado com diversos parentes e vizinhos, mas sem sucesso.


Operação Átria

A conversão da prisão de Daniel ocorreu na semana de encerramento da Operação Átria, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública em todo o país e destinada ao combate à violência doméstica.

Em três semanas, 4.255 pessoas acabaram presas no âmbito da Operação Átria em todo o país. Desse total, 3.598 detenções foram em flagrante, conforme balanço parcial divulgado na semana passada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Fonte: metropoles.




Comments


FORTE NEWS REAL.png

Mais Notícias

bottom of page