top of page

Grupo é suspeito de montar empresas para lavar dinheiro do tráfico em Goiás

Investigação da Polícia Civil fez Justiça bloquear R$ 35 milhões dos suspeitos, que teria agido em Goiânia, Trindade e Novo Gama


Operação da Polícia Civil de Goiás prendeu 22 suspeitos de integrar organização criminosa especializada em tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em três cidades do estado. A investigação aponta que o grupo usou o dinheiro do crime para abrir empresas e comprar imóveis e veículos de luxo. Cerca de R$ 35 milhões dos supostos criminosos foram bloqueados pela Justiça.

Além de prender os suspeitos, a Delegacia Estadual de Repressão aos Narcóticos (Denarc) cumpriu, na sexta-feira (28/5), 47 mandados de busca e apreensão em Goiânia, Trindade e Novo Gama, que fica no Entorno do Distrito Federal (DF). A investigação começou no ano passado, mas, segundo o delegado Fábio Meireles, o grupo agia desde 2018.

“Trata-se de uma organização criminosa muito bem articulada, que montou empresas para lavar o dinheiro obtido com o tráfico de cocaína, ecstasy e pasta base”, disse o delegado. Segundo ele, o grupo contratava laranjas para executar as operações em nome dos estabelecimentos de fachada.

Durante a operação, a polícia apreendeu duas armas de fogo, munições, drogas e insumos, 15 veículos e R$ 50 mil em dinheiro. Dois apartamentos, quatro casas, uma fazenda, veículos e contas bancárias dos investigados também foram confiscados pela Justiça.

Os presos, que não tiveram os nomes e idades divulgadas, responderão por tráfico de drogas e associação criminosa. Somadas, as penas desses crimes superam 15 anos de prisão.

Por: Portal Forte News**Com informações do metropoles


Comments


FORTE NEWS REAL.png

Mais Notícias

bottom of page