top of page

Halloween: polícia investiga uso de fantasia de pessoa com deficiência


Reprodução

A Polícia Civil de Anápolis, município a cerca de 55 km da capital goiana, abriu um inquérito para investigar um jovem que se “fantasiou” de uma pessoa com deficiência durante uma festa de Halloween em um bar da cidade. A cena registrada em vídeo ganhou repercussão após o ativista Ivan Baron, que subiu a rampa do Planalto com o presidente Lula (PT) em 1º de janeiro, divulgar o caso nas redes sociais.


O caso aconteceu durante o fim de semana. Em um concurso de fantasias, o investigado usou uma cadeira de rodas e imitou os trejeitos da influencer Leandrinha, como a posição dos braços e a forma de falar.


Investigação sobre fantasia de pessoa com deficiência

De acordo com o delegado Manoel Vanderic, do Grupo Especializado no Atendimento às Vítimas de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Geacri), o caso não demanda denúncias formais, pois é um crime que prejudica toda uma população.


“Esse crime é de ação pública incondicionada, somos obrigados a investigar. A pena é bem alta, então que sirva de exemplo. Vamos investigar esse rapaz e ver se existem outras pessoas envolvidas na ‘brincadeira'”, declarou Manoel ao site Portal 6.


“As pessoas, em grande parte, mesmo com deficiências, não têm noção do quanto a lei é contundente nesse sentido, tanto referente à deficiência quanto à cor da pele, sexualidade e religião. É inadmissível, e as penas hoje são altíssimas. Iremos analisar a participação de outras pessoas na prática. Concordem ou não, é a lei, e ela será cumprida; o vídeo fala por si”, acrescentou o delegado.

Fonte: metropoles




Comentários


FORTE NEWS REAL.png

Mais Notícias

bottom of page