top of page

Mulher denuncia ter sido atacada por três pit bulls após sair de supermercado: 'Desesperador'


Leila Maria Lima e braço mordido por cães em Goianira, em Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Uma mulher de 30 anos denunciou ter sido atacada por três pit bulls em Goianira, na Região Metropolitana de Goiânia. Segundo Leila Maria Lima, o caso aconteceu após ela sair de um supermercado, depois de ter ido comprar ingredientes para fazer um almoço de aniversário para o marido. Fotos mostram como o braço da mulher ficou após o ataque.


O caso aconteceu no sábado (8), no bairro Triunfo, quando ela voltava a pé para a casa dela. A mulher está internada no Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) e contou ao g1 ter passado por uma cirurgia no braço. A unidade informou, nesta segunda-feira (11), que o estado de saúde de Leila é regular e que ela respira espontaneamente.


O g1 não conseguiu localizar o tutor dos animais para um posicionamento até a última atualização desta reportagem.


Leila contou que, no sábado, tinha decidido fazer um almoço surpresa com o prato predileto do marido, em comemoração ao aniversário dele. Por isso, pela manhã, foi ao supermercado. Ao sair do local com os ingredientes dentro de sacolas, se deparou com os três animais.


"Antes de virar a esquina da minha casa estava vindo um rapaz com três pit bulls, sem coleira, sem focinheira. Esses cachorros me atacaram. Os três me morderam", explicou.


A mulher detalhou ter recebido a maior parte das mordidas no braço esquerdo.


"Eles deram apenas uma mordida no meu braço direito. Como eu estava com as sacolas, fiquei tentando desvenciliar deles. Fiquei tentando puxar meu rosto para trás", narrou Leila.


"Minha sorte é que um vizinho abriu o portão e eu consegui entrar", completou.

Esse vizinho, de acordo com Leila, utilizou uma faca para fazer com que os cachorros soltassem o braço de Leila e a socorreu, a levando para uma unidade de saúde. Como ela foi socorrida pelo vizinho, nem os Corpo de Bombeiros, nem o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionados para a ocorrência.


Leila também contou que não conhece o tutor dos animais e que ele não prestou socorro a ela. A mulher disse que mora no bairro em que foi atacada há 9 anos e que nunca tinha passado por uma situação parecida. No entanto, o medo agora toma conta.


"Não consigo nem imaginar ir em um supermercado sozinha mais, ou levar meus filhos na pracinha para jogar bola, sem meu marido ou alguém mais forte que eu"

Como ainda está internada, a mulher disse que ainda não registrou o caso na polícia.

Fonte: g1 Goiás.




Kommentare


FORTE NEWS REAL.png

Mais Notícias

bottom of page