top of page

Padrasto é preso suspeito de morder os testículos do enteado de 5 anos e ameaçar a companheira


Padrasto é preso suspeito de morder os testículos do enteado de 5 anos e ameaçar a companheira, em Caldas Novas, Goiás — Foto: Divulgação/Polícia Militar

Um homem foi preso suspeito de morder os testículos do enteado de 5 anos e ameaçar a companheira, em Caldas Novas, no sul do estado. Segundo a Polícia Civil (PM), a criança está internada no Pronto Atendimento Infantil Hospital Dr. André Ala Filho (Pai) e aguarda uma cirurgia.


O nome do suspeito, que tem 38 anos, não foi divulgado e, por isso, o g1 não localizou a defesa dele para um posicionamento até a última atualização desta matéria. O crime aconteceu na noite de domingo (31), véspera do Ano-Novo, e é investigado pelo delegado Gustavo Ferreira.


O investigador relata que o suspeito e a mãe do menino tinham um relacionamento de um ano e seis meses e, no dia do crime, estavam em casa e bêbados. “Ele agrediu a criança com tapas e, na sequência, ele teria mordido o testículo do enteado”, detalha Ferreira.

Conforme relato da Polícia Militar (PM), segundo a mãe, o padrasto ficou bravo com o enteado que estava deitado no sofá e disse: “Eu te odeio menino nojento, vou arrancar seu saco fora”. Após o suspeito morder a criança, a mulher pediu ajuda aos vizinhos e o levou para o hospital.

“O menino está internado e aguardando uma cirurgia de reconstituição”, detalha Ferreira.

Ao socorrer o filho, a mãe ainda foi ameaçada pelo companheiro que disse para ela que se fosse preso, a mataria. A polícia destaca ainda que a mulher estava com roxos no braço e na perna, além de não ter um dente. “A mãe já era vítima de violência doméstica”, disse o delegado.


A Polícia Militar (PM) foi chamada após a criança dar entrada no hospital municipal de Caldas Novas. Ao tomar conhecimento do que tinha acontecido, os policiais foram até a casa da mulher e encontraram o padrasto bêbado, que não resistiu a prisão.

O homem foi conduzido para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para receber atendimento médico e, em seguida, levado para a delegacia, onde foi autuado por lesão corporal e ameaça. O caso é investigado pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).

Fonte: g1 Goiás.


Comentarios


FORTE NEWS REAL.png

Mais Notícias

bottom of page