top of page

“Sou inocente”, diz suspeita de matar mãe e filho envenenados com doce



Presa pela Polícia Civil de Goiás nesta quarta-feira (20/12) por suspeita de matar o sogro e a mãe dele, usando doce envenenado, Amanda Partata Martoza, de 31 anos, disse que é inocente e não matou ninguém.

Os policiais chegaram com Amanda algemada na Delegacia de Homicídios (DIH) em Goiânia no começo da noite de quarta.

Enquanto caminhava ao lado do delegado Carlos Alfama e de outros policiais, ela disse que é inocente e negou o crime. Amanda chegou na delegacia com um vestido preto e o cabelo jogado sobre o rosto.


“Eu sou inocente, eu não fiz isso, gente. Eu não fiz nada”, disse a advogada, segundo vídeo do site Mais Goiás.

A Polícia Civil informou que vai dar mais detalhes sobre o caso na manhã de quinta-feira (21/12). O Metrópoles tenta localizar a defesa de Amanda. O espaço segue aberto.

Mortes por doce envenenado

Leonardo Pereira Alves, de 58 anos, e a mãe dele, Luzia Tereza Alves, de 86, morreram depois de comer doce no último domingo (17/12). Eles começaram a passar mal após a ingestão do produto.

O caso teve muita repercussão nas redes sociais, pois inicialmente, familiares das vítimas suspeitaram que a confeitaria responsável pelos doces seria responsável. A investigação da polícia descartou o envolvimento da confeitaria, que é uma das maiores de Goiás.

Amanda se apresenta no Instagram como psicóloga e terapeuta, mas o Conselho Regional de Psicologia de Goiás informou em nota que Amanda não tem registro profissional ativo.


Segundo o boletim de ocorrência, as vítimas comeram os doces na manhã de domingo (17/12). Os sintomas começaram por volta das 13 horas, cerca de três horas após terem comido os doces.

Os dois chegaram a ser internados no Hospital Santa Bárbara, em Goiânia, mas não resistiram. A suspeita de envenenar os dois, Amanda relatou que teria comido os doces em menor quantidade. Ela é de Itumbiara (GO).

Fonte: metropoles


Comments


FORTE NEWS REAL.png

Mais Notícias

bottom of page