top of page

Idoso suspeito de matar adolescente de 15 anos construiu cisterna para ocultar o corpo, diz delegado



O idoso suspeito de matar a adolescente Ana Carolina Silva, de 15 anos, construiu uma cisterna para ocultar o corpo da vítima, em Planaltina, no Entorno do Distrito Federal, afirmou o delegado do caso, Humberto Soares. Em depoimento à polícia, o idoso confessou o crime. De acordo com a investigação, o suspeito tem experiência em obras e, com isso, conseguiu construir o local.


"Demonstra que na situação ele estava com muita raiva. Ele tentou se livrar do corpo jogando em um buraco que estava aberto no quintal. Como ele tinha experiência com obras, comprou materiais de construção e construiu a cisterna", afirmou o delegado.


O g1 não conseguiu contato com a defesa do suspeito até a última atualização desta reportagem.


A polícia encontrou o corpo da vítima na última quinta-feira (6), mesma data que em prenderam o idoso. Antes da confissão, o corpo de Ana Carolina pôde ser identificado pelas tatuagens que tinha e ainda estavam visíveis, segundo a Polícia Civil.


O idoso foi preso dentro de um ônibus a caminho de Sobradinho (DF). Ao g1, a polícia informou que as investigações apontam que vítima e suspeito "namoravam" há cerca de 40 dias e que ela não tinha relações com a família desde 2021, quando os pais se separaram.


Ainda em depoimento, o suspeito afirmou que a vítima não dormia na casa dele, e sim, na casa de uma amiga, mas que ia até o local durante o dia para fazer comida. De acordo com a investigação, o idoso dava dinheiro para a adolescente.


Ana Carolina foi esfaqueada no pescoço e em outras diversas áreas do corpo. Segundo Humberto Soares, a vítima estava sob efeito de drogas no momento em que foi morta.


Motivação do crime

De acordo com a investigação, quando a ex-companheira do idoso descobriu o relacionamento com a adolescente e que ela estava frequentando a casa, exigiu que o suspeito mandasse a garota embora, mesmo já divorciados. O idoso aceitou o pedido da ex-mulher e pediu para que a adolescente saísse da casa, apontou Humberto Soares.


Ainda segundo a Polícia Civil, o idoso afirmou em depoimento que a adolescente começou a ameaçá-lo, dizendo que se saísse da casa iria denunciar o suspeito para a polícia. Disse ainda que, amigos de Ana Carolina, apontados como traficantes pela investigação, foram até a casa do idoso para colaborar com as ameaças.


"Ele disse que a matou diante de ameaças que ela teria feito contra sua família. Além disso, ele afirmou que Anna teria dito que iria tomar a casa dele na Justiça", detalhou a polícia sobre a motivação do crime alegada pelo idoso.

Aproveitando do momento em que a adolescente estava sob efeito de drogas, o idoso a esfaqueou no pescoço e deu início as demais lesões causadas. Em depoimento, o suspeito confessou que o crime ocorreu em 30 de maio deste ano.


Desaparecimento

A Polícia Militar explicou que soube que a adolescente estava desaparecida e que, após fazer um levantamento, encontrou a casa onde o corpo estava escondido. O corpo foi encontrado após os policiais estranharem a existência de uma estrutura de cimento recente que estaria sobre a cisterna.


Ao g1, a Polícia Civil explicou que, inicialmente o suspeito não admitiu os crimes, mas que familiares suspeitavam que o corpo encontrado seria de Anna Carolina Silva. A família reconheceu o corpo da menina no local em que ele foi encontrado por meio das tatuagens dela.


Prisão

Preso em flagrante por ocultação de cadáver, o idoso pode ainda responder por exploração sexual, por ser a vítima uma adolescente. De acordo com o delegado, devido à gravidade do crime, ele acredita que a Justiça deve converter a prisão do suspeito em provisória após audiência de custódia.

Fonte: g1 Goiás.

Comments


FORTE NEWS REAL.png

Mais Notícias

bottom of page